2ª via de boleto
 

A amazona da Hípica Luana Maceiras Astolfi, integrante da Equipe Brasileira de Volteio, participará do World Equestrian Games 2018, considerado como a Olimpíada dos esportes equestres. A competição será na cidade de Tryon, na Carolina do norte, EUA.

Luana começou sua trajetória na Escola de Equitação Fernão Pompêo de Camargo, em 2012. Com foco e talento, a amazona alcançou seu objetivo de integrar a Equipe Brasileira de Volteio em 2017.

Com menos de seis anos no esporte, a amazona já foi campeã estadual na categoria sênior individual e duas vezes vice-campeã brasileira na categoria sênior dupla. Também teve a oportunidade de representar o Brasil e a Hípica na Argentina, em 2017, quando ficou em primeiro lugar com a equipe do clube.

Para conseguir tantos resultados positivos, a atleta treina todos os dias. Além dos exercícios com o cavalo, ela faz treinos físicos às segundas, quartas e quintas. “Treino com o cavalo às terças. Às sextas, tenho somente o treino no barril para o aperfeiçoamento da técnica. Já aos sábados, faço o treino completo com a equipe em São Paulo”, conta Luana.

A alimentação também é regrada, sem consumo de refrigerantes. Mas, para ela, o principal desafio da rotina de atleta é conviver com as lesões do esporte e ter de abrir mão de quase todos os fins de semana para praticar.

Luana explicou que o volteio é uma modalidade de pouca tradição no Brasil, além de ser a atividade equestre menos praticada no mundo. Segundo ela, com poucos cavalos atuando no país e raros centros de treinamento, a evolução do esporte é lenta.

Apesar das dificuldades, Luana afirma que aprende diariamente com o esporte. “O volteio em equipe nos ensina a conviver em um grupo com atletas de diferentes idades, em diferentes fases da vida. Aprendemos a respeitar uns aos outros, cada um com suas dificuldades e qualidades, e a nos conectar com cada membro de nossa equipe e, principalmente, com o cavalo, a peça principal”, completa.

 

Compartilhe