2ª via de boleto
 

Tradicionalmente no mês de abril, a taxa de manutenção paga pelos associados sofre um realinhamento que visa fazer frente aos compromissos financeiros do clube. Tendo em vista a excepcional saúde financeira da SHC, que conta com vultosa reserva pecuniária, a administração houve por bem elaborar uma proposta orçamentária, a partir de março deste ano, que utilizasse uma parte dessas reservas para fazer frente às despesas previstas. Em outras palavras, uma parte das despesas seria suportada por essas reservas, o que implicaria na ocorrência de um déficit deliberado, mas que, em contrapartida, pouparia o corpo associativo desse ônus.

O conselho fiscal, ao examinar tal proposta orçamentária, emitiu um parecer desfavorável, invocando diversos dispositivos do estatuto social, especialmente aqueles que se referem à ocorrência de prejuízo e à incorporação das reservas ao patrimônio.

Diante desse parecer e visando evitar o engessamento das atividades, a diretoria executiva optou pela elaboração de outra proposta, mais enxuta em relação às despesas.

Mesmo assim, ainda tivemos de repassar ao corpo associativo o rateio das necessidades. O resultado foi: a proposta de fixação da taxa de manutenção em R$ 390 a partir deste mês de maio foi submetida ao conselho deliberativo, que houve por bem aprová-la.

Tal realinhamento foi da ordem de 5,41% e garantirá a manutenção de todas as atividades e serviços proporcionados pelo clube, que, como é de conhecimento geral, passa, há muitos anos, por constante e salutar incremento.

 

Compartilhe